A reticência está completa


Primeira capa do Reticência Jornalística, que ficou no ar entre 2011 e 2012.
Primeira capa do Reticência Jornalística, que ficou no ar entre 2011 e 2012.

O terceiro ponto da reticência jornalística é colocado hoje ao final de todas as nossas frases. Em 10 de junho de 2011, o blog chegava aqui ao WordPress depois de ficar por dois anos no extinto Abril Blogs.

Quando entrei nesta área, então nova e desconhecida, eu disse a você, leitor: “Eu não sei ficar no mesmo”. E de fato não sei.

Em três anos – e 303 textos publicados, sem contar este aqui -, o blog mudou de cara poucas vezes (a partir de hoje estamos brasileiros).

A ideia era que o visual se transformasse a cada aniversário e foi assim até 2013, mas aí houve a necessidade de mudar cada vez mais e quem visita o blog com frequência já conseguiu percebeu isso.

Estamos sempre em mudança, apesar de os textos já deixarem a desejar. Eu sei.

Mas isso não acontece por uma exclusiva vontade minha. O tempo não permite tanto quanto antes. O trabalho (no núcleo de conteúdo e políticas públicas da Secretaria da Segurança Pública) tem tomado 30 horas por semana da minha disponibilidade, isso sem contar os plantões.

O trabalho de conclusão de curso da faculdade também. Aliás, em breve teremos repercussão aqui sobre o assunto. Espero. O mais atento já percebeu que o tema é câncer e o mais esperto saberá qual é a minha justificativa para a escolha.

Ao leitor que era fiel por dois anos, peço meu perdão. A dedicação voltará em breve. Ou não, como eu sempre digo e você já está habituado.

Este texto é uma reunião de mimimis para que você entenda a atual situação do Reticência Jornalística e veja que o terceiro ponto não é o final da nossa reticência.

O reticente nunca tem fim, é eterno, assim como a eternidade das palavras que estão aqui e as que virão em breve.

Muitas histórias estão guardadas, esperando o tempo fazer delas diamantes.

Ao leitor que tem acompanhado o blog desde a coluna de manchetes comentadas do Abril Blogs e a análise da Copa do Mundo de 2010, lá, agradeço imensamente por persistir numa joça que até o autor já pensou em desistir.

Aos novos leitores, sejam sempre bem-vindos a um mundo novo, agora mais jornalístico que reticente. A mesa logo será virada. E eu espero você aqui para acompanhar o retorno do filho pródigo à casa do pai.

O blog existe porque você o ajuda a existir. Ele é feito de histórias. Da sua vida e de vidas como a sua. As reticências também são um pouco de você, de mim, do mundo.

Atenciosamente,

Rafael Iglesias,

10 de junho de 2014.

3anos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s