Reportagem: SP tem 29 mil incêndios em vegetações no ano


Julho concentrou 30% dos registros no estado; clima seco é fator de risco para essas ocorrências

Os incêndios em áreas de vegetação aumentaram 33,05% no estado de São Paulo, de janeiro a agosto deste ano. Nesse período, bombeiros atenderam 29.309 ocorrências do tipo.

Julho concentrou 30% do total de registros. No mês, choveu metade do esperado, segundo a Estação Meteorológica da Universidade de São Paulo (USP).

Nos mesmos oito meses do ano passado, foram 22.028 incêndios em vegetações. Segundo o Corpo de Bombeiros, o clima seco é um dos fatores que contribuem para essas ocorrências.

Em 29 de agosto, dois carros-tanque tiveram de conter o fogo que alastrou por uma reserva no quilômetro 7 da estrada vicinal Prefeito Hélio Gomes, em Presidente Epitácio, no interior.

Três dias depois, chamas de grandes proporções atingiram vegetação no entorno da Universidade de Sorocaba (Uniso). O balanço geral de setembro ainda não foi divulgado.

Apesar do aumento de registros em julho, agosto teve queda de 50% nos incêndios. Na contramão, maio registrou alta de 909 para 6.070 casos (quase sete vezes mais).

Imagem1

Prevenção

“As ações humanas são essenciais para esses trágicos resultados, mas também para evitá-los”, afirma o capitão Marcos Palumbo, do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar de São Paulo.

Para evitar os incêndios, ele explica – e pede – que o cidadão paulista não descarte cigarros em locais inapropriados, “principalmente em rodovias e especialmente próximo a vegetações”.

Como o tempo seco e o vento facilitam que fagulhas se espalhem, é preciso evitar fogueiras e fogos de artifício em áreas de mata. “Essas também são as causas de grandes incêndios.”

Outra medida para prevenir o fogo em vegetações é não incendiar lixo nem promover queimadas, que são um crime ambiental e podem resultar em multa ou até mesmo prisão.

Segundo o bombeiro, cerca de 2 mil brigadistas são treinados anualmente para combater incêndios florestais. “Mas precisamos que a população nos ajude a prevenir esses casos.”

00031472
Foto: Divulgação/SSP

Balões

A época de inverno, com as festas juninas, tem uma maior incidência de soltura de balões em São Paulo. Isso, segundo o Corpo de Bombeiros, potencializa as chances de incêndios.

Na maioria das vezes, o balão não cai apagado. Para voar, ele conta com uma cangalha e seu material inflamável pode causar acidentes de grandes proporções, inclusiva em áreas urbanas.

A soltura de balões é um crime ambiental e a população pode denunciar pelo telefone 190 (PM) ou utilizando o aplicativo Denúncia Ambiente, disponível para Android e iOS.

Procurada, até a publicação deste texto, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo não informou quais medidas estão sendo adotadas para prevenir esse tipo de crime ambiental.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s