Reportagem: Só 12% dos presos são acusados de crimes graves em São Paulo


Apenas 64 mil dos 520 mil detidos desde 2016 são acusados de homicídio doloso, latrocínio, estupro e roubo

Somente 12% das pessoas presas ou apreendidas no estado de São Paulo foram acusadas de crimes graves, segundo a Polícia Civil. Entre esse grupo estão indiciados por homicídios dolosos, latrocínios, estupros e roubos (a banco, de carga, de veículo e em geral).

Os dados foram obtidos em Reticência Jornalística via Lei de Acesso à Informação. O período analisado vai de janeiro de 2016 a março de 2018, período em que Geraldo Alckmin (PSDB) esteve à frente do governo. Antes disso, a polícia não realizava esse controle.

Ao todo, 64.288 adultos e adolescentes foram acusados à justiça de terem cometido crimes graves.  Nesse período, 520.151 pessoas foram detidas em São Paulo – que tem a maior população carcerária do Brasil, de acordo com o Ministério da Justiça.

O total de presos representa 7% do total de crimes graves registrados, que foi de 873.171 no período. Desses casos, apenas 5% foram esclarecidos – algo que não depende necessariamente da localização do autor, mas de sua identificação, por exemplo.

Prisões e apreensões no estado de São Paulo


Prisões por tipo de crime

As polícias detiveram em flagrante ou por mandado 247 pessoas envolvidas em roubos a banco entre 2016 e 2018. O número de casos foi o mesmo, apesar de a taxa de esclarecimento ser de 80%. Isso acontece porque esse delito necessita de mais de um criminoso.

Também houve 582 presos para 752 latrocínios registrados – uma para cada oito, em média. Nos homicídios intencionais, há um detido para cada sete boletins de ocorrência: foram 5.638 pessoas para 7.581 casos. As informações não contemplam os acidentes de trânsito dolosos.

Com menos de um preso a cada 10 casos estão os roubos em geral, de carga e de veículo. Os crimes envolvendo veículos têm hoje o menor índice de esclarecimento entre os crimes graves (3%). Além disso, houve três presos para cada 20 estupros no estado.

Crimes e pessoas detidas e apreendidas em São Paulo (jan/2016-mar/2018)
Natureza Casos registrados Pessoas detidas Representatividade
Homicídio doloso 7.581 5.638 74%
Roubo a banco 247 247 100%
Roubo de carga 22.809 1.582 7%
Roubo de veículo 159.741 8.950 6%
Roubo em geral 657.679 43.646 7%
Latrocínio 752 582 77%
Estupro 24.362 3.643 15%
Total 873.171 64.288 7%

Governo não explica baixo índice de prisões

Questionada sobre o baixo índice de detenções, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) estadual afirmou que “desenvolve diversas ações de políticas públicas, como investimento em tecnologia e aperfeiçoamento do trabalho policial”.

A pasta apontou ainda que “as centrais de operações das polícias Militar e Civil utilizam sistemas integrados pelo Detecta e compartilham informações de interesse comum”. O Detecta é um banco central de dados de segurança do governo paulista.

Comandada por Mágino Alves Barbosa Filho, a SSP diz que tem o maior efetivo policial da América Latina e tem investido em contratações e aquisição de viaturas. Entretanto, não explicou por que esses investimentos não têm gerado resultados.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s