Dr. Rey quer ser ministro


Sarcástica ou irônica, a vontade do médico em assumir pasta da Saúde nos faz refletir, ou rir, ou também chorar

Macunaíma, o herói sem nenhum caráter, já nos avisava que o Brasil tem dois problemas: pouca saúde e muita saúva. Nem o excesso de agrotóxicos tem deixado das formigas de lado no solo desta nação tão fatigada que não consegue deixar de encontrar pedras no caminho.

E parece que os problemas vão se agravar mais a cada dia.

Em um movimento de superpopização da política nacional, o cirurgião plástico Robert Rey foi à casa do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) na última sexta-feira (9). Doctor Rey queria se oferecer para o cargo de ministro da Saúde.

Sarcástica ou irônica, a situação nos faz refletir. Afinal, pelo menos o Dr. Hollywood é médico. Isso deixa ele alguns pontos à frente de Ricardo Barros (PP), que, nomeado por Michel Temer (MDB), chefiou a pasta entre 2016 e 2018 com seu diploma de engenheiro civil.

Mas a falta de preparo político e noção da realidade de Rey fica alguns metros, acredite, atrás. “Eventualmente, eu queria fechar o sistema [Único de Saúde, o SUS] brasileiro”, disse ele. E ainda sonhou: “Todo brasileiro terá seguro privado”.

Dr. Rey ainda disse que espera participar do governo, se não como ministro da Saúde, em “qualquer cargo”. Ou seja, quer apenas mamar em alguma teta da pátria amada.

Em uma mistura de “utopismo” com oportunismo, o doctor parece mesmo ter encontrado aquilo que, aparentemente, realmente desejava: aparecer na mídia. Nem seu título de reservista do exército norte-americano deve lhe abrir as portas da Esplanada dos Ministérios.

Ainda bem.


Cargo deve ficar com deputado

Bolsonaro revelou três dias depois da frustrada visita que está “examinando” o nome do deputado federal Henrique Mandetta (DEM-MS) para o comando do Ministério da Saúde. Os dois se reunirão no dia 12 de dezembro, no Rio de Janeiro.

Mandetta não se candidatou este ano e ficará sem mandato em janeiro. Se assumir, terá que “tapar os ralos”, na avaliação do futuro presidente. O parlamentar é investigado por caixa dois e fraude em licitação quando era secretário em Campo Grande (MS).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s